domingo, 31 de março de 2013

CAUSAS EMOCIONAIS DAS DOENÇAS EM NOSSOS ORGÃOS

Se há doença é porque algum aspecto da vida não está fluindo adequadamente. Ela é manifestação de conflitos interiores.
Antes da somatização surgem manifestações emocionais como angústia, depressão, medo etc.
Assim como criamos as doenças, podemos destruí-las. A cura é uma combinação do tratamento físico com o reposicionamento interior.

I - SISTEMA CIRCULATÓRIO

I.1. - Coração - entusiasmo e motivação pessoal.

I.1.1. - Problemas cardíacos em geral - desânimo e desmotivação.

I.1.2. - Angina - firmeza aparente, que esconde amarguras e
sofrimentos. Dos falsos valores, perda da motivação e entusiasmo pela vida.

I.1.3. - Infarto - desmoronamento

I.1.4. - Taquicardia - entusiasmo reprimido.

I.2. - PRESSÃO ARTERIAL - fuga dos conflitos que envolvem a afetividade.

I.2.1. - Pressão Alta - fuga através da preocupação ou
dedicação excessiva aos afazeres.

I.2.2. - Pressão Baixa - fuga pelo esquecimento, desejo de
abandonar tudo.

I.3. - Sangue - expressão da individualidade, fiel representante da alma, que dávida ao corpo.

I.3.1. - Anemia - falta de ânimo e vitalidade.

I.3.2. - Coagulação sanguínea - (in)capacidade de se refazer
mediante as perdas.

I.3.3. - Hemorragia - desrespeito ao ritmo interno, ultrapassando os próprios limites e perdendo-se no que faz.

I.3.4. - Leucemia - ressentimento por não conseguir manter a
integridade na vida.

I.3.5. - Tipos Sanguíneos:

A - pessoas conservadoras, detalhistas, harmoniosas, prestativas, sem pretensõesde liderança.

AB - pessoas colaboradoras, cumpridoras de compromissos,
prestativas.

B - pessoas com autoconhecimento, que sabem o que querem, mas com dificuldades para lidar com os outros.

O - pessoas comunicativas, com capacidade de liderança,
convincentes,determinadas, expressivas

I.4. - Vasos Sanguíneos - senso de direção e limites.

I.4.1. - Aneurisma - negação da própria fragilidade e
limitações, abraçandocausas externas. Alta responsabilidade para se manter no poder e controle dasituação.

I.4.2. - Arteriosclerose - resistência ao novo.

I.4.3 - Flebite - intransigência e irritação diante de obstáculos.

I.4.4. - Trombose - pessimismo e limitação na vida.

I.4.5. - Varizes - estagnação numa situação desagradável,
frustração por não realizar idéias e objetivos. Fazer de tudo, menos o necessário.


II - SISTEMA DIGESTIVO

II.1. - Afta - autopunição por sentir-se despreparado e negar a própria capacidade.

II.2. - Dentes- decisão, vitalidade e força agressiva.

II.2.1. - Canal - índole, senso moral e familiar.

II.2.2. - Cáries - indecisão, perda da solidez interior.

II.3. - Diabetes - depressão, falta de docilidade, pessimismo.

II.3.1. - Hipoclicemia - ansiedade, resgate do tempo perdido.

II.4. - Digestão - elaboração e aceitação dos acontecimentos.

II.5. - Esôfago - realismo.

II.5.1.- Esofagite - constante irritação.

II.5.2. - Hérnia de hiato - sentimento de culpa.

II.6. - Estômago - processador das emoções básicas.

II.7. - Estomatite - sentimento de invasão e incapacidade de
sustentar o próprio ponto de vista.

II.8. - Faringe - aceitação dos fatos triviais.

II.8.1. - Faringite - irritação por não saber lidar com
episódios desagradáveis.

II.9. - Fígado - órgão da mudança, força agressiva.

II.9.1. - Cirrose - autodestruição.

II.9.2. - Hepatite - resistência ao novo, gerando bloqueios.

II.10. - Glândulas Salivares - sentimento de segurança.

II.10.1. - Caxumba - sentimento de impotência.

II.10.2.- Síndrome de Sjogren (SS) - revolta e indisposição
em absorver os episódios da vida.

II.11. - Hemorroídas - apego às mágoas do passado.

II.12. - Intestino Delgado - absorção e aproveitamento das
experiências de vida. Capacidade de entendimento.

II.12.1. - Diarréia - súbito desapego, sem elaborar a
experiência.

II.13. - Intestino Grosso - expressão dos mais profundos
sentimentos . Doação egenerosidade.

II.13.1 - Intestino preso - recusa na exteriorização dos
sentimentos.

II.13.2. - Prisão de ventre - meticulosidade, atrapalhar-se
com detalhes, contenção da espontaneidade.

II.14. - Língua - prazer e articulação da expressão.

II.15 - Mau Hálito - desejo inconsciente de distanciar as
pessoas.

II.16. - Maxilar - dosagem da força agressiva

II.16.1. - Gengiva - firmeza nas decisões.

II.16.2. - Gengivite - frustração por não conseguir sustentar
decisões.

II.17. - Náusea e Vômito - resistência e recusa a situações.

II.18 - Pâncreas - abrir-se para a vida e as pessoas,
extraindo o melhor da situação. Alegria e descontração em viver.

II.18.1. - Depressão no Pâncreas - quadro psicológico que
acompanha as principais doenças pancreáticas.

II.18.2. - Pancreatite - amargura, frustração e raiva.

II.19. - Suco Gástrico - resposta mental às situações da vida.

II.19.1. - Gastrite - atividade mental proporcionalmente
maior que os fatos.

II.19.2. - Úlcera - não se permite falhar nem compartilha os
problemas.Agressividade sufocada.

II.20. - Vesícula Biliar - sentir-se em condições de
enfrentar os grandes obstáculos da vida.


III - SISTEMA REPRODUTOR

III.1. - SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

III.1.1. - Frigidez - bloqueios que impedem a entrega no ato
sexual.

III.1.2. - Mamas - feminilidade e afetividade, capacidade de
entrega e doação.

III.1.2.1. - Amamentação - capacidade de doação.

III.1.2.2. - Coceira - insatisfação com a dedicação ou a
forma como é tratada pelos outros.

III.1.2.3. - Flacidez - falta de sustentação interior, perda da autoconfiança.

III.1.2.4. - Mastite - conflitos durante a dedicação.

III.1.2.5. - Nódulos - bloqueios afetivos.

III.1.3. - Menstruação - renovação, desprendimento e
aceitação da feminilidade.

III.1.3.1. - Amenorréia - regressão na maturidade feminina,
apego a situações ou pessoas que foram marcantes.

III.1.3.2. - Menopausa - maturidade emocional.

III.1.3.3. - Outros problemas - rejeição da própria feminilidade, dificuldade em lidar com mudanças.

III.1.4. - Ovários - criatividade feminina

III.1.4.1. - Cistos - criatividade sufocada, culpa pelas
idéias que deram errado.

III.1.4.2. - Ovário policístico - confusão mental, dificuldade em expor idéias.

III.1.5. - Tubas Uterinas - elaboração das idéias, forma como
se expressa a criatividade.

III.1.5.1. - Infertilidade/esterilidade - sentir-se incapaz de
sustentar uma situação (igual para os homens)

III.1.5.2. - Laqueadura - influência negativa na elaboração
das idéias.

III.1.6. - Útero - natureza feminina, originalidade e espontaneidade.

III.1.6.1. - Miomas e Fibromas - deixar-se moldar pelo
externo, não preservarsua natureza íntima.

III.1.7. - Vagina - prazer na vida e no sexo.

III.1.7.1. - Coceira - expectativas frustradas em relação ao
prazer ou ao parceiro.

III.1.7.2. - Corrimento - profundos ferimentos afetivos ou
sexuais.

III.1.7.3. - Ressecamento - despreparo para o prazer.

III.1.7.4. - Vaginismo - falta de soltura e entrega ao prazer.

III.2 - SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

III.2.1. - Pênis - prazer masculino, capacidade de concretizar os objetivos da vida.

III.2.1.1. - Disfunção erétil - autodepreciação, inferioridade e
fracasso navida.

III.2.2. - Próstata - caráter masculino.

III.2.2.1. - deixar de ser original e perder o caráter.

III.2.3. - Testículos - criatividade masculina.


IV - SISTEMA RESPIRATÓRIO

IV.1. - Brônquios - relação entre os mundos interno e externo, interação harmoniosa com o ambiente.

IV.1.1. - Asma brônquica - sentimento de inferioridade
disfarçado pelo desejo de poder e controle do ambiente.

IV.1.2. - Bronquite - dificuldade de relacionar-se com o ambiente. Incapacidade de expressar sentimento de agressão. Necessidade de chamar atenção, isolar-se ou fazer chantagem.

IV.2. - Fossas Nasais - primeiro contato entre o externo e o
interno, habilidade para lidar com os palpites e sugestões dos outros.

IV.2.1. - Gripe ou resfriado - confusão interior, despreparo
para lidar com mudanças, falta de confiança no novo.

IV.2.2. - Rinite - abalar-se pelas confusões do ambiente, não
se permitir errar, adotar comportamento exemplar.

IV.2.3. - Sinusite - profunda irritação com alguém bem próximo, decepção provocada pelas expectativas.


IV.3. - FENÔMENOS RESPIRATÓRIOS

IV.3.1. - Bocejo - mobilização orgânica para refazer-se do
desgaste físico ou da perda energética, desprendimento da negatividade agregada.

IV.3.2. - Espirro - impulso de defesa contra idéias ou energias
negativas.

IV.3.3. - Ronco - teimosia, rigidez de idéias.

IV.3.4. - Soluço - ansiedade e medo do desfecho de uma
situação.

IV.3.5. - Tosse - regressão dos impulsos agressivos e desejo
de atacar.

IV.4. Laringe - seleção e discernimento entre idéias e fatos.

IV.4.1. - Calos nas Cordas Vocais - revolta e aspereza na forma de falar.

IV.4.2. - Disfunções da Fala - contenção dos impulsos.

IV.4.3. - Engasgo - ser surpreendido por coisas que vêm
atravessadas.

IV.4.4. - Gagueira - incapacidade de falar por si, tolher-se
na expressão.

IV.4.5 - Laringite - irritação por não conseguir manter sua
força de expressão, frustração por não falar o que pensa.

IV.4.6. - Voz - via de expressão do ser.

IV.5. - Pulmões - órgãos de contato e relacionamento com a
vida e o ambiente.

IV.5.1. - Edema - apego emocional seguido de desmotivação e
perda da vontade de viver.

IV.5.2. - Enfisema - medo e negação da vida, dificuldade em
encarar os obstáculos.

IV.5.3. - Pneumonia - cansaço da vida, irritação por se doar
muito aos outros sem retorno.

IV.5.4. - Tuberculose - crueldade e desejo de vingança
sufocado.


V - SISTEMA URINÁRIO

V. 1. Bexiga - necessidade de aliviar tensões emocionais e
psicológicas.

V.1.1. - Cistite - irritação com o parceiro ou com as intrigas no
lar, traumas sexuais ou culpa pelas atitudes incorretas de alguém querido.

V.1.2. - Enurese noturna - emoções reprimidas, tensões e
medos liberados durante o sono.

V.1.3. - Incontinência Urinária - medo de perder o controle
emocional em situações afetivas.

V.1.4. - Uretrite - sentir-se irritado e chateado com as situações ao redor.

V.1.5. - Outros Problemas na Bexiga - apego a situações do
passado, frustração evitimismo.

V.2. - Rins - correspondem ao âmbito da parceria: capacidade
de amar e de se relacionar.

V.2.1. - Cálculos renais - apego às complicações afetivas.
Cultivar mágoas e cultivar excessivamente os entes queridos.

V.2.2. - Cólica renal - apego a quem ama, não admitir nenhum
tipo de ruptura no relacionamento.

V.2.3. - Outros Problemas Renais - dificuldades nos
relacionamentos.

SAÚDE/NOVA ERA

Por: Jorge Bandeira

Fonte:
https://www.facebook.com/pages/Aqui-e-Agora-Meditando/343097695731054
 

sábado, 30 de março de 2013

A RESPIRAÇÃO CORRETA PODE CURAR



Vocês sabiam?

Que nossa maneira de respirar pode mudar nossa percepção da vida é um caminho para o autoconhecimento e autocura?

Reparem nas grandes mudanças qualitativas que podem ocorrer em sua vida. Somente através da respiração. É mágico! Uma vez que você respira melhor, que alivia as tensões inconscientes, que você liberta a respiração, começa a se perceber mudando em todas as particularidades e níveis, e se descobre com todas as habilidades mais afinadas.

Quando a respiração é perfeita, todo o resto se equilibra, respirar é vida!

Respirar é mesmo sinônimo de vida, sim; mas a quase totalidade das pessoas prefere ignorar esse fato. E, claro, paga um preço por isso. O resultado dessa conta pode ser visto em qualquer ser humano desse mundo moderno:

Problemas de coluna, pressão alta, enxaquecas crônicas, gastrite, ansiedade, síndrome do pânico, fibromialgia, e tantos outros.

A sua dispersão se transforma em atenção, a insegurança em confiança, os seus medos vão simplesmente se dissipando e você repentinamente encontra entusiasmo para levar a sua vida à frente.

A respiração desbloqueada se torna música para você. E como benefício adicional, como o pulmão envolve o coração, respirar plenamente massageia o coração melhorando a circulação do músculo do coração, evitando e prevenindo todas as doenças relacionadas a ele, ao mesmo tempo em que torna você uma pessoa mais amorosa e emocionalmente alimentada. E sem amor, não há ponte possível entre você e seu criador.

Vou explicar aqui uma prática de Yoga muito simples, fácil e rápido para ser feito diariamente.

Nesta técnica de Yoga, absorvemos energias que são desconhecidas pela maioria dos ocidentais. Mas, vai dar bastante energia, saúde em todos os corpos constitutivos, inspiração e etc...
Encontrará o EQUILÍBRIO em tudo, com esta prática.

Vamos lá...

É o PRÂNÂYÂMA. Mas é pra fazer com Entus + siasmo, hein?

É assim:

NOTA: A Respiração correta deve ser feita em quatro tempos.

IDA (Pingala – termo usado na Cabalah – “Coluna direita da Cabalah” = Positiva)

1. Fechar a narina esquerda com o dedo anular e inspirar com a narina direita;
(Por exemplo: Conte até quatro, inicialmente, mais tarde aumenta esse tempo)

2. Fechar a narina direita e retenha o ar nos pulmões (Ambos os lados estarão fechados)
(Conte até quatro)

3. Soltar o ar pela narina esquerda (A narina direita permanece fechada)
(Conte até quatro)

4. Fechar a narina esquerda e manter os pulmões vazios (Ambos os lados estarão fechados)
(Conte até quatro)
Continue...

VOLTA (Ida – termo usado na Cabalah – “Coluna esquerda da Cabalah” = Negativa)


5. Retirar o anular da narina esquerda e inspirar o ar (Com a narina direita fechada)
(Conte até quatro)

6. Fechar também narina esquerda e reter o ar nos pulmões
(Conte até quatro)

7. Expirar pela narina direita deixando os pulmões vazios
(Conte até quatro)

8. Fechar a narina direita e manter os pulmões vazios (Com a narina esquerda fechada)


INSPIRAR com as duas narinas e EXPIRAR com as duas narinas (O famoso “respire fundo”) – Sushumnâ – conceito da Cabalah, ou melhor, “coluna do meio do Cabalah” = Equilíbrio.

OBS: Repetir esta série por SETE vezes. Em sete etapas ela é infalível.

Assim, com o tempo saberão respirar corretamente. Aproveitem!

Olhem os tipos que se designaram de respirações:

Respiração lenta: acalma, deixa a pessoa pacífica e compreensiva, produz clareza de pensamento. Ajuda a desenvolver uma percepção mais ampla de todos os fenômenos, aprofunda o autoconhecimento e a consciência universal. Diminui o ritmo das atividades biológicas e a temperatura tende a baixar.

Respiração longa: dá poder de concentração e sintoniza a pessoa com o ritmo do universo; traz paciência, calma, tolerância, desenvolve uma visão profunda das coisas e a consciência do aqui e agora. A memória e a visão do futuro tornam-se mais extensas e claras.

Respiração profunda: gera harmonia entre todas as funções do corpo e, com isso, há mais satisfação, estabilidade emocional, confiança e capacidade de expressão. Facilita a meditação e o sentimento amoroso.

Respiração rápida: excita, produzindo um estado mental instável. A pessoa muda de emoções bruscamente e tem reações inesperadas de ataque e defesa; torna-se mais subjetiva e egocêntrica, vê mais os detalhes que o todo, fica mesquinha.

Respiração superficial: gera carência, já que não supre as necessidades orgânicas de oxigênio e isso se reflete no estado mental e emocional. A pessoa fica medrosa, volúvel, insegura, ruim de memória e de intuição. A angústia tem muito a ver com isso.

Respiração curta: é dispersiva, traz impaciência, cria um ritmo irregular; a pessoa muda muito de idéia, tende à intolerância e ao mau humor. Custa-lhe adaptar aos ambientes, vive sempre em conflito e se apega mais aos detalhes que ao todo.

Daí se conclui, sem muito esforço, que uma respiração longa, lenta e profunda pode criar dentro de cada um de nós um oásis particular de harmonia, paz e saúde.

FONTE:
https://www.facebook.com/pages/Aqui-e-Agora-Meditando/343097695731054

sexta-feira, 29 de março de 2013

Para Cesta de Frutas


 
Eu estava tão feliz
Quando você sorriu pra mim
Com um sorriso contagiante.
A primavera ainda está longe
E a terra gelada ainda está molhada
Eu estava esperando pelo dia em que a primeira grama nascesse.

Por exemplo,mesmo com o doloroso dia que foi hoje
Mesmo se as feridas de ontem resistirem
Quero continuar confiando nas pessoas
Eu não posso me tornar uma outra pessoa
Mas posso mudar meu jeito de ser
Vamos ficar juntos eternamente

Sorrindo apenas para mim
Acariciando meus olhos com seus dedos
Quero ser gentil com você
Carregando seus desejos pela eternidade
Como as florestas nas montanhas
Podemos atravessar esses sonhos de dor

Mesmo que o dia de hoje seja tão difícil como esse
Um dia se tornará uma linda lembrança
Se eu conseguir dizer tudo que eu sinto
Irei descobrir por que estou vivendo aqui
E também descobrirei o motivo destes sorrisos
Vamos ficar juntos para sempre

Mesmo que o dia de hoje seja tão difícil como esse
Um dia se tornará uma linda lembrança
Se eu conseguir dizer tudo que eu sinto
Irei descobrir por que estou vivendo aqui
E também descobrirei o motivo destes sorrisos
Vamos ficar juntos para sempre

Fonte:
http://letras.mus.br/fruits-basket/149268/traducao.html

quinta-feira, 28 de março de 2013

Pequena Oração (Chiisana Inori)

 

Pequena Oração

Vamos nos juntar
Para um animado jantar em familia
Que as lagrimas de hoje
Te tornem forte no amanhã

la la la
Que maravilha de vida e paixão
lalala
Temos que amar mais essa vida e paixão

A esse dia que se vai e foi tão cheio
Adeu e obrigada
Acabando em sorrisos
Isto seria uma pequena oração

As flores da primavera afloram
E o verde encobre tudo
Veja , qualquer lagrima
o vento leva embora

La la la
Que maravilha de vida e paixão
la la la
Temos que amar mais essa vida e paixão
 

Chiisana Inori

Tanoshii yuu ge
Saa kakomimashou
Kyou no namida wa hora
Asu no chikara ni shite

La la la
Subarashiki love & life
La la la
Ai subeki love & life

Sei ippai datta ichinichi ni
Sayonara to arigatou
Waratte oemashou
Sore wa chiisa na inori

Haru hana saki
Midori moeru koro
Donna namida mo hora
Kaze ni nagasarete ku

La la la
Subarashiki love & life
La la la
Ai subeki love & life
Fonte:http://letras.mus.br/fruits-basket/252251/traducao.html
 

quarta-feira, 27 de março de 2013

Serenidade

Meu querido tesouro, em primeiro lugar eu tenho vos amado tanto.
Eu sinto sua falta quando meu coração é forte e fraco.
Hajimete no takaramono yo konna ni suki ni natte
Tsuyokute yowai kokoro toki ni wa sabishigaru kedo
 
 
Eu fico feliz só de ver você sorrir.
Tudo é salvo por ele.
Kimi ga warau to sore dake de mou ureshikute
Subete ga mukuwareru 'n da
 
 
Durante o dia sombrio, eu estava assistindo daqui.
Mas agora, estou olhando para o céu.
Utsumuiteta hi wa koko kara miteta no wa
Demo ima wa sora wo miageteru
 
 
Quando no desespero, eu gostaria de dizer alguma coisa à suas costas depressivas.
Desejo abraçar seus joelhos molhados pela chuva.
Tohou ni kureru senaka ni kotoba wo kaketai kedo
Doshaburi ni nureta kata wo sugu ni mo dakitai keredo
 
 
Você não precisa estar procurando por mim o tempo todo.
Você sabia de qualquer jeito.
 
 
 
 
Itsumo itsudemo motometeite kurenakute ii
Donna hi mo kimi wo shitteru
 
 
Não é a força extraordinária que abre a fechadura do coração.
Mas sim a mente clara.
Kokoro no kagi wo akeru no wa tsuyoi chikara janaku
Massugu ni omou kimochi
 
 
 
Eu fico feliz só de ver você sorrir.
Tudo é salvo por ele.
Kimi ga warau to sore dake de mou ureshikute
Subete ga mukuwareru 'n da
 
 
 
Durante o dia sombrio, eu estava assistindo daqui.
Mas agora, estou olhando para o céu.
Utsumuiteta hi wa koko kara miteta no wa
Demo ima wa sora wo miageteru
 
 
 
Vou fazer o nosso melhor hoje e ter a força invencível
em nome da pessoa que amo.
Kyou mo ganbarou makenai tsuyosa wo motou
Ai suru hito no tame ni mo
 
Fonte:http://letras.mus.br/fruits-basket/216973/traducao.html
 
 

domingo, 24 de março de 2013

sexta-feira, 15 de março de 2013

Energia


"Tudo que é vivo contem energia, e esta energia se comunica entre si."

Paulo Coelho - Guerreiro da Luz Volume 01

quinta-feira, 14 de março de 2013

Sintomas Depressão

Tristeza
Emotividade
Angústia
Irritabilidade
Ansiedade
Anedonia
Desmotivação

Baixo rendimento intelectual
Baixo rendimento intelectual
Baixo rendimento intelectual
Baixo rendimento intelectual
Baixo rendimento intelectual 


Falta de fé (em si, em deus, na vida,
Nas pessoas e nos tratamentos)
Sentimento de abandono e/ou rejeição
Assuntos constantes sobre morte
Sentimento de inferioridade
Falta de sentido na vida
Baixa auto-estima
Auto-imagem negativa 


Pessimismo
Desvalorização da vida
Sentimento de culpa
Idéias de suicídio falta de fé (em si, em deus, na vida,
Nas pessoas e nos tratamentos)
Sentimento de abandono e/ou rejeição
Assuntos constantes sobre morte
Sentimento de inferioridade
Falta de sentido na vida
Baixa auto-estima
Auto-imagem negativa 


Pessimismo
Desvalorização da vida
Sentimento de culpa
Idéias de suicídio falta de fé (em si, em deus, na vida, nas pessoas e nos tratamentos)
Sentimento de abandono e/ou rejeição
Assuntos constantes sobre morte
Sentimento de inferioridade 


Falta de sentido na vida
Baixa auto-estima
Auto-imagem negativa
Pessimismo
Desvalorização da vida
Sentimento de culpa
Idéias de suicídio falta de fé (em si, em deus, na vida, nas pessoas e nos tratamentos)
Sentimento de abandono e/ou rejeição
Assuntos constantes sobre morte
Sentimento de inferioridade
Falta de sentido na vida
Baixa auto-estima 

Auto-imagem negativa
Pessimismo
Desvalorização da vida
Sentimento de culpa
Idéias de suicídio falta de fé (em si, em deus, na vida, nas pessoas e nos tratamentos)
Sentimento de abandono e/ou rejeição
Assuntos constantes sobre morte
Sentimento de inferioridade
Falta de sentido na vida
Baixa auto-estima 

Auto-imagem negativa
Pessimismo
Desvalorização da vida
Sentimento de culpa
Idéias de suicídio
Hipersonia
Insônia
Perda de apetite 

Aumento de apetite
Diminuição da libido
Redução do interesse sexual
Baixa no sistema imunológico
Isolamento
Desinteresse pelos estudos
Desinteresse pelo trabalho