sábado, 31 de julho de 2010

Dê uma olhada na literatura inglesa

Quando falamos de literatura inglesa nos referimos a literatura escrita em inglês, e texto moderno, médio ou antigo, ou a literatura em inglês ainda quetenha sido escrita por autores não ingleses.
Pre-moderna: medieval
A literatura medieval é um tema muito amplo, que abarca todas as obras escritas na Europa durante a Edade Media, aproximadamente desde a caída do Império Romano do ocidente (500 d.C.) até o començo do Renascimento Florentino a finais do século XV. A literatura de este período está dominada pelos temas religiosos, incluindo a poesía religiosa e a haliografía (a vida dos santos), mas também se produziram trabalhos científico e seglares importantes. as obras iam desde as mais sagradas a as mais profanas, pasando por outros muitos temas.
Era moderna recente ou renascimento
"English Renaissance" o renascimento inglês são os términos que se utilizam para descrever o movimento artístico e cultural da Inglaterra desde principios do século XVI até mediados do século XVII. Se associa com o renascimento paneuropeo que segundo vários historiadores nasceu no século XIV na Italia. Esta época da historia cultural inglesa se conhece também como "os anos de Shakespeare" ou "a era isabelina", que fazem referência ao autor e a monarca mais importantes da época, respectivamente. Porém, não é muito exato relembrar esta época deste modo porque, Shakespeare não foi um escritor conhecido em seu tempo e o Renascimiento inglês começa antes e termina depois do reinado de Elizabeth
Literatura isabelina
A era isabelina teve uma producção literaria próspera, em especial no campo do teatro. William Shakespeare foi um autor sobresaliente de poesia e obras teatrais. Outras figuras importantes do teatro foram Christopher Marlowe, Thomas Dekker, John Fletcher e Francis Beaumont. Se desenvolveu também o gênero de comedia urbana.
Literatura Jacobea
Depois da morte de Shakespeare, foi o poeta e dramaturgo Ben Jonson quem liderou a literatura jacobea. Vários autores seguiram seu estilo como Beaumont e Fletcher, a todos eles se lhes denominou "filhos de Ben". Outro estilo popular da época foi o teatro de venganza que se fez popular por John Webster e Tomas Kyd.
Literatura da Restauração
A reabertura dos teatros proporcionou a oportunidade de representar obras satíricas sobre a nova nobreza e a crescente burguesía. A mobilidade da sociedade que seguía as agitações sociais da geração anterior proporciou o material para a comedia costumbrista. Aphra Behn foi a primeira novelista e dramaturgo profissional mulher. A alegoría de John Bunyan, o peregrino, é uma das obras mais lidas deste período.
Literatura da era de Augusto
A época de principios do século XVIII se conhece como a era de Augusto ou literatura neoclásica. A poesia destes anos era muito formal como demonstram os trabalhos de Alexander Pope. A novela inglesa não foi muito popular até o século XVIII, ainsa que muitos trabalhos foram muito importantes, como Robinson Crusoe (1719) de Daniel Defoe. A mediados do século XVIII a novela se asentou por autores como Henry Fielding, aurence Stern e Samuel Richardson, que aperfeisoaram a novela epistolar; Richardson foi moralista enquanto que Fielding e Stern se aproximaram mais ao gênero cômico.
Romanticismo
A reação fazia a industrialização e o urbanismo empurrou aos poetas a explorar a natureza, como o grupo de "Os poetas do ago" no que incluimos a William Wordsworth. Estes poetas romanticos levaram a literatura inglesa um novo grau de sentimentalismo e instrospecção. Entre os autores mais importantes da segunda geração de poetas romanticos encontramos a Lord Byron, Percy Bysse Shelley e John Keats
Literatura victoriana
A forma da literatura que mais importancia cobrou nesta época foi a novela. A maioria dos autores estavam mais preocupados em conhecer os gostos da classe média que lia, que em satisfazer aos aristocratas. Entre as obras mais conhecidas desta época resaltamos: os trabalhos de forte conteúdo emocional das irmãs Brontë; a sátira Vanity Fair de William Makepeace Thackery; a novela realista de George oiot; e os perspicazes retratos da vida dos terratenentes e da clase profissional de Anthony Trollope. Charles Dickens saiu em cena em 1830 baixo tendência da publicação por entregas.
Literatura moderna
Entre as duas Guerras Mundiais encontramos importantes novelistas como D.H. awrence e Virginia Woolf, membro do grupo Bloomsbury.O Sitwells também cobrou força entre os movimentos literarios e artísticos, mas foi menos influente. Os escritores de literatura popular mais importantes foram P.G. Wodehouse e Agatha Christie.
Literatura pós-moderna
Dois exemplos da literatura pós-moderna inglesa são : John Fowles e Julian Barnes. Alguns escritores importantes de principios do século XXI são : Martin Amis, Ian McEwan, Will Self, Andrew Motion e Salman Rushdie.

 Fonte: http://www.linguainglesa.net/ptenglish2/literature.asp

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Linguística é....

Linguística é a ciência que estuda a linguagem verbal humana. Como toda a ciência, ela baseia-se em observações conduzidas através de métodos, com fundamentação em uma teoria.

Portanto, a função de um linguista é estudar toda e qualquer manifestação linguística como um fato merecedor de descrição e explicação dentro de um quadro científico adequado.

Para um linguista é muito mais interessante uma passagem do tipo:

Cumé qui é?

a outra:

Como é que é?

pois as variações linguísticas e seus motivos socio-culturais são, cientificamente, muito mais relevantes do que a norma padrão da língua, isto é, o jeito “correto” de falar.

O linguista quer descobrir como a língua funciona, estudando várias dessas línguas, de forma empírica (através de dados baseados na experiência), dando preferência às variações populares faladas em diversas comunidades.

Introdução à Lingüística - José Luiz FiorinIntrodução à Lingüística – José Luiz Fiorin Compre agora

Os critérios de coleta, organização, seleção e análise dos dados linguísticos obedecem a uma teoria linguística expressamente formulada para esse fim.
Divisões da Linguística

1. Considerando o foco da análise:

* Linguística Descritiva (ou sincrônica): Fala de uma língua, descrevendo-a simultaneamente no tempo, analisa as relações existentes entre os fatos linguísticos em um estado da língua, além de fornecer dados que confirmam ou não as hipóteses. Modernamente, ela cede lugar à Linguística Teórica, que constrói modelos teóricos, mais do que descreve;
* Linguística História (ou diacrônica): Analisa as mudanças que a língua sofre através dos tempos, preocupando-se, principalmente, com as transformações ocorridas;
* Linguística Teórica: Procura estudar questões sobre como as pessoas, usando suas linguagens, conseguem comunicar-se; quais propriedades todas as linguagens têm em comum; qual conhecimento uma pessoa deve possuir para ser capaz de usar uma linguagem e como a habilidade linguística é adquirida pelas crianças;
* Linguística Aplicada: Utiliza conhecimentos da linguística para solucionar problemas, geralmente referentes ao ensino de línguas, à tradução ou aos distúrbios de linguagem.
* Linguística Geral: Engloba todas as áreas, sem um detalhamento profundo. Fornece modelos e conceitos que fundamentarão a análise das línguas.

2. Considerando o que constitui a língua:

* Fonologia: Estuda os menores segmentos que formam a língua, isto é, os fonemas;
* Morfologia: Estuda as classes de palavras, suas flexões, estrutura e formação;
* Sintaxe: Estuda as funções das palavras nas frases;
* Semântica: Estuda os sentidos das frases e das palavras que a integram;

3. Considerando suas conexões com outros domínios:

* Psicolinguística: Estuda a relação entre a linguagem e a mente;
* Sociolinguística: Estuda a relação entre a linguagem e a sociedade;
* Etnolinguística: Estuda a relação entre a linguagem e a cultura (cultura não no sentido de erudição ou conhecimento livreiro, mas sim como as tradições de um povo, esta cultura que todos possuem.)


Fonte: http://www.lendo.org/o-que-e-linguistica/

quinta-feira, 29 de julho de 2010

José de Sousa Saramago

href="file:///C:%5CDOCUME%7E1%5CYUME%5CCONFIG%7E1%5CTemp%5Cmsohtmlclip1%5C01%5Cclip_colorschememapping.xml" rel="colorSchemeMapping">
José de Sousa Saramago (Azinhaga, Golegã, 16 de Novembro de 1922 — Tías, Lanzarote, 18 de Junho de 2010) foi um escritor, argumentista, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português.

Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Saramago foi considerado o responsável pelo efectivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa.[1]

O seu livro Ensaio Sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema e lançado em 2008, produzido no Japão, Brasil e Canadá, dirigido por Fernando Meirelles (realizador de O Fiel Jardineiro e Cidade de Deus). Em 2010 o realizador português António Ferreira adapta um conto retirado do livro Objecto Quase, conto esse que viria dar nome ao filme Embargo, uma produção portuguesa em co-produção com o Brasil e Espanha.

Nasceu no distrito de Santarém, na província geográfica do Ribatejo, no dia 16 de Novembro, embora o registo oficial apresente o dia 18 como o do seu nascimento. Saramago, conhecido pelo seu ateísmo e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi director-adjunto do Diário de Notícias. Juntamente com Luiz Francisco Rebello, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). Casado, em segundas núpcias, com a espanhola Pilar del Río, Saramago viveu na ilha espanhola de Lanzarote, nas Ilhas Canárias.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Al Gore



Albert Arnold "Al" Gore Jr. (Washington, 31 de Março de 1948) é um político americano que foi vice-presidente durante a administração de Bill Clinton, entre 1993 e 2001
É membro do Partido Democrata.

"Não arriscar nada é arriscar tudo."
(Al Gore)

terça-feira, 27 de julho de 2010

[Contos] A Memória de Shakespeare – Jorge Luis Borges


Eis que se reúnem alguns dos mais importantes e significativos textos do imenso escritor argentino. Os escritos que se publicam neste volume são absolutamente essenciais para quem queira conhecer este nome central da literatura universal. Reedição aumentada de uma obra que constitui por si só a grande introdução a uma obra espantosa de um dos maiores vultos da literatura universal do século XX. Com efeito, quem queira conhecer a obra do fabuloso escritor argentino tem que ler este notável conjunto de contos-crónicas-ensaios onde o autor espraia toda a sua capacidade de moldar a literatura aos seus desejos oferecendo todo um leque da vastidão de conhecimentos, da inteligência e espírito humanista, da noção universalista da literatura que muitos tentaram imitar mas poucos ou nenhuns conseguiram igualar

A Memória de Shakespeare – Jorge Luis Borges

Fonte:http://ebooksgratis.com.br/category/livros-ebooks-gratis/page/3/

segunda-feira, 26 de julho de 2010

[Psicologia] O Anel do Poder – Jean Shinoda Bolen



Os primeiros livros de Jean Shinoda Bolen inspiravem-se nos padrões arquetípicos presentes no homem e na mulher, e o fazia a partir de deuses e deusas gregos mostrando como eles atuam sobre os valores patriarcais que premiam alguns arquétipos e punem outros. Esses mesmos deuses e deusas constituem agora o ponto de partida deste livro, mas com nomes germânicos e personalidades mais humanas e complexas.
«Um Anel do Poder olha por si próprio, Frodo. Pode escorregar traiçoeiramente. Mas o que o tem nunca o abandona. No máximo brinca com a ideia de o entregar ao cuidado de outra pessoa… Mas tanto quanto sei só Bilbo, em toda a história, foi além da brincadeira, e de facto o fez! Para o que o usa, esse Anel Único deu o domínio sobre todas as criaturas vivas, mas dado que foi criado por um poder maligno, no fim corrompeu inevitavelmente todas as pessoas que tentaram usá-lo.»
J.R.R. Tolkien, O Senhor dos Anéis
Jean Shinoda Bolen ilumina os nossos selves(selfs), as nossas famílias, e as nossas relações através do Ciclo do Anel. Lembrando-nos «em que medida a mitologia fala de nós», Bolen oferece interpretações dos ricos mitos culturais que evocam as nossas associações, recordações, e emoções, instigando à penetração e cura tanto para a psique como para a sociedade apanhadas no «Ciclo do Anel» da destruição e da disfunção.

Fonte: http://ebooksgratis.com.br/livros-ebooks-gratis/tecnicos-e-cientificos/psicologia-o-anel-do-poder-jean-shinoda-bolen/

domingo, 25 de julho de 2010

Frase de Wayne Muller


"Em cada respiração, surge a possibilidade de um novo aspecto de nós mesmos."
(Wayne Muller)

sábado, 24 de julho de 2010

Wayne Muller


Wayne Muller is an ordained minister, a therapist, and founder of Bread for the Journey, an innovative organization serving families in need. A graduate of Harvard Divinity School, he has spent the last 25 years working closely with some of the most disadvantaged members of society.


Muller is a Senior Scholar with the Fetzer Institute and part of the extended faculty of the Institute of Noetic Sciences. He is the founder and currently runs retreats for the Institute for Engaged Spirituality. The author of several popular books on spirituality, he also gives lectures and retreats nationwide. He lives with his family in northern California.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Frase de Plutarco



"A mente não é uma vasilha para ser ocupada, mas um fogo para ser acendido."
(Plutarco)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Plutarco


Plutarco (em grego, Πλούταρχος, transl. Ploútarkhos) de Queroneia (46 a 126 d.C.), filósofo e prosador grego do período greco-romano, estudou na Academia de Atenas (fundada por Platão).
Viajou pela Ásia e pelo Egipto, viveu algum tempo em Roma e foi sacerdote de Apolo em Delfos em 95d.C. O seu enorme prestígio valeu-lhe deter direitos de cidadão em Delfos, Atenas e mesmo em Roma (Mestrius Plutarchus). A sua ética baseia-se na convicção de que para alcançar a felicidade e a paz, é preciso controlar os impulsos das paixões. Escreveu sobre Platão, sobre os estóicos e os epicuristas, e estudou a inteligência dos animais comparando-a à dos humanos. É dele um pequeno e denso ensaio, onde expõe a habilidade no uso da astúcia com ética, Como tirar proveito do inimigo.
Segundo a tradição, Plutarco escreveu mais de 200 livros. Chegaram até nós cerca de 50 biografias de gregos (entre elas a "Vida de Licurgo") e romanos ilustres em que ambas são comparadas, conhecidas como as Vidas Paralelas e dezenas de outros escritos sobre os mais variados tópicos, designadas genericamente por Obras Morais ("Moralia"), sobre Filosofia, Religião, Moral, Crítica literária e Pedagogia.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Plutarco

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Confúcio


Confúcio (em chinês: 孔子, pinyin: Kǒngzǐ; Tsou, 551 a.C.  - Qufu, 479 a.C.) é o nome latino  do pensador chinês  Kung-Fu-Tse (chinês: 孔夫子; pinyin: Kǒng Fūzǐ, literalmente "Mestre Kong"). Foi a figura histórica mais conhecida na China como mestre, filósofo e teórico político. Sua doutrina, o confucionismo, teve forte influência não apenas sobre a China mas também sobre toda a Ásia oriental.

Conhece-se muito pouco da sua vida. Parece que os seus antepassados foram de linhagem nobre, mas o filósofo e moralista viveu pobre, e desde a infância teve de ser mestre de si mesmo. Na sua época, a China estava praticamente dividida em reinos feudais cujos senhores dependiam muito pouco do rei.

Sua filosofia enfatizava a moralidade pessoal e governamental, a exatidão nas relações sociais, a justiça e a sinceridade. Estes valores ganharam destaque na China sobre outras doutrinas, como o Legalismo (法家) ou o Taoísmo (道家) durante a Dinastia Han[1] (206 a.C. - 220 d.C.). O confucionismo foi introduzido na Europa pelo jesuíta italiano Matteo Ricci, que foi o primeiro a latinizar o nome como "Confúcio".

terça-feira, 20 de julho de 2010

Iraque à Venda - Os Lucros da Guerra


Iraque a Venda é um documentário impressionante sobre como corporações como a Halliburton, ligada ao vice-presidente norte-americano Dick Cheney, estão lucrando de forma extremamente desonesta com a Guerra do Iraque. A terceirização de serviços péssimamente prestados e superfaturados não inclui apenas atividades acessórias… além de providenciar serviços de alimentação, escritório, lavanderia, transporte, etc, civis estiveram envolvidos nos interrogatórios e torturas dos prisioneiros de Abu Ghraib.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Simple Present or Present Continuous


Hey Lisa, how are you doing? (you, do)
 Good. I am (I, be) a little worried about the exam tomorrow.
 Hmm... Me too, but I think (I, think) it's going to be ok. Do you want (you, want) to go out tonight?
 I can't... I am studying (I, study) tonight. I still have (have) to read the last chapter of the book.
 Ok. If you change your mind... We are going (We, go) to the theater.
 Cool! What are you seeing (you, see)?
 It's a play by Shakespeare.
 Nice! I am reading (I, read) Shakespeare right now.
 Which Shakespeare book are you reading (you, read)?
 Hamlet. it is (it, be) really good.

O Mundo de Da Vinci (documentário)




Após a queda de Roma, Itália mergulhou em um sono profundo, que não foi recuperado até o século XI, quando o Sacro Império Romano perdeu a sua influência sobre a Itália e começou a aparecer independente da cidade-estado. Estas pequenas repúblicas, enquanto a peste negra-estruturas, começou a revitalizar as suas cidades e realizar uma construção em escala não é conhecida desde a época romana. No final do XV e XVI, um certo número de alianças tiveram lugar entre as várias cidades-estados, enquanto potências estrangeiras tentando tirar vantagem da Itália. França, Espanha e do Sacro Império Romano lutaram suas batalhas em solo italiano, enquanto o turco é ameaça paira ameaçadoramente sobre a costa de Veneza. A grande Renascença artistas e arquitetos também foram os grandes engenheiros civis e militares da época. Algumas das grandes obras deste período são: a criação de um amplo sistema de aquedutos subterrâneos em Siena, a construção da cúpula de Santa Maria del Fiore por Brunelleschi, o progresso na defesa e os disparos potência desenvolvida pelos engenheiros Sangallo e di Giorgio, bem como a recuperação de Roma como uma cidade, que vão desde a reparação dos aquedutos de Roma, até a transferência dos gigante obelisco de São Pedro.
________________________________________________________________
Esse documentário é ótimo!!!

domingo, 18 de julho de 2010

Resumo crítico do filme : O leitor, escrito por Rani M.O.Lima



O Leitor
É um filme cujo não tem cronologia certa , passa em dois tempos , no presente em 1995 e no passado quando o personagem principal era adolescente.
O estudante (leitor) Michael Berg um dia voltando da escola de bonde não se sente bem e desce antes do seu destino  (voltar para casa). Ao passar mal num beco uma moça chamada Hanna Schmitz  , que o ajuda e depois que ele melhora leva-o até quase a porta de casa.
Após ele melhorar de uma doença que lhe deixou de cama por semanas  ele leva um arranjo de flor como gratidão por Hanna Schmitz   ter ajudado-o. E surge um romance entre os dois, porém pelo fato dele ser jovem de mais e ela ter idade para ser a mãe dele , ele não conta a ninguém dela e nem ela dele.Ao perceber que o jovem rapaz ia a casa dela após a escola para namorá-la , ela coloca regras.Uma delas é que primeiro ele tinha que ler para ela os livros e depois  da leitura ela aceitava namorar. Fazendo isso para garantir o futuro dele sem que um romance de verão não estragasse tudo.Algumas das leituras que ele fez foi : A Dama do cachorrinho de Anton Chekhov e A odisséia de Homero .
Terminando  o verão Hanna Schmitz  que trabalhava como trocadora em um bonde é  surpreendida  por receber uma promoção , para trabalhar no escritório.O que para ela não foi alegre pois ela não sabia ler nem escrever.Ela não conta nada ao Michael Berg e após uma ultima vez encontrar com ele , ela faz as malas e deixa o apartamento em que morava.
O jovem Michael Berg sofre por ela ter partido sem amenos dizer adeus. Porém o tempo passa e em  1966 encontra-se na escola de direito de  Heilderberg. Quando alguns colegas da turma e o professor vão assistir a um julgamento é o momento de grande surpresa para o Michael Berg ,já que ao chegar lá ao anunciar um dos nomes da acusado o deixa tonto sem querer acreditar no que estava ouvindo : “Hanna Schmitz  nascida 21 de outubro de 1922 ,43 anos (na data do julgamento).Crime ter se juntado ao SS em 1943. O julgamento de Hanna Schmitz  é o ponto chave do filme para análise da argumentação.
Hanna Schmitz  ao longo do processo diferente das outras acusadas que também trabalharam como guardas dos campos de concentrações , ela fala a verdade de como tudo era procedido. E ao ser questionada o motivo de ter aceito o emprego ela disse que pelo alto salário. Quando na verdade Michael Berg sabe que ela aceito aquele emprego pelo ausência de necessidade de saber ler ou escrever. E isso fica evidente durante o julgamento quando ela é bombardeada por perguntas e ela não nega nenhuma resposta.
Hanna Schmitz  nascida 21 de outubro de 1922 ,43 anos (na data do julgamento).Crime ter se juntado ao SS em 1943, primeiro trabalhou em Auschwitz até 1944, depois foi para o acampamento Krakowem e de lá ocorreu a chamada marcha da morte inverno de 1944.
Nos intervalos de um dia para o outro do julgamento o professor de Michael Berg diz ao grupo que está indo ao julgamento: “As sociedades acham que são guiadas por algo chamado moralidade.Mas não são.São guiadas por algo chamado lei.” , e o aluno conclui que a lei é algo obscuro , já que na época em que Hanna Schmitz  trabalhava nos campos de concentrações não era crime o que ela fazia já que a lei ordenava que ninguém escondesse judeu , logo trabalhar aprisionando não era crime.Porém matar nunca deixou de ser crime , refletem.
Esse julgamento só ocorreu devido uma sobrevivente ter escrito um livro contando por tudo que passou. Como o julgamento acontecesse em 1966 ela é julgada como criminosa , o que espantou é que o julgamento foi feito sobre uma nova lei deixando de ser considerado a lei anterior em que ela passou pela situação. Já que a lei não retroage para prejudicar mas retroage para ajudar, ao menos no Brasil é o tendencioso.
Quando Michael Berg conversa com o professor que sabe de um motivo para inocentar Hanna mas não diz o motivo .Então o professor argumenta que para que serve estudar se na hora que é preciso de ação ele fica calado?E fica bem chateado.

A seleção  é o momento chave do filme onde mostra que a falta de instrução dela ,leva-a se condenar ao usar as palavras erradas. E ao falar a verdade quando todos mentem. A referida seleção era a dos prisioneiros que ela e as demais guardas  iriam mandar para Auschwitz, o que era certeza de quase morte.
O Michael ao visitar um dos campos de concentração  faz agente sentir que apesar de Hanna ter trabalhado ali também era uma “prisioneira” fisicamente do lugar pequeno cheio de tanta gente , tanto quanto mentalmente, sociologicamente, psicologicamente.
A vergonha de não saber ler nem escrever fez com que ela assumisse toda a culpa daquilo que ela não fez e nem era Chefe das guardas. Já que  fica claro que o julgamento precisava de um mentor para ser dito como culpado.Da parte das outras acusadas por aparentemente ter mais estudo perceberam que era mais fácil acusar uma mente fraca do que todas assumirem suas respectivas responsabilidade dentro da acusação.Hanna termina sendo acusada por participação especial no assassinato de 300 pessoas é sentenciada a prisão perpétua.Enquanto as outras pegam só 4 anos de cadeia.
Após a sentença o personagem Michael cresce naquela angústia sem se abrir para o mundo. Mantendo esse romance em segredo. Casa por casar , tem uma filha mas logo o casamento acaba em divórcio. Fica claro que o único amor dele fora a Hanna pelo qual ele não fez nada quando poderia ter feito.

Após o divórcio em 1976  volta a ler os antigos livros e resolve gravar as histórias com sua voz em um gravador e envia um gravador e as fitas com as histórias que costumava ler para Hanna, envia para prisão em que Hanna estava.Hanna passa a ficar alegre novamente . E um belo dia resolve pegar o livre a dama do cachorrinho e junto com a leitura da fita , sozinha aprende a ler e a escrever.E quando ele para de mandar as fitas ela finalmente pode escrever uma carta pedindo que mande mais romances.Mas ele não responde a carta dela e nem mais manda fitas com romances.
Berlin Oriental 1988 ligam da cadeia para Michael dizendo que ele é o único contato dela.Dias depois ele resolve visitá-la na cadeia para informar que ela terá um emprego  que ele conseguiu para ela e uma casa .Na semana seguinte quando vai buscá-la , descobre que ela se suicidou-se e deixou um bilhete dizendo para ele dar o dinheiro a vítima do incêndio que estava viva.
Michael vai aos EUA e tenta explicar que Hanna não era o monstro que parecia ser no julgamento, tentou explicar que ela era analfabeta e que foi manipulada , mas a vítima Mather  não quis saber da explicação. Recusou o dinheiro mas aceitou a latinha.Ela manda ele fazer o dinheiro com o que quiser e ele sugere usar para fazer uma  organização que ajude o alfabetismo.E mather concorda.
Quando a filhade Michael Berg , Júlia volta depois de morar um ano fora do país ela diz que sempre se sentiu culpada pelo divorcio dele com a mãe.Em janeiro de 1995 Michael resolve levar a filha aonde Hanna está enterrada e resolve se abrir para filha contando como ele começou a se fechar para o mundo.
E começa narrando “ Tinha 15 anos,estava voltando para casa, estava me sentido mal e uma mulher me ajudou.”

sábado, 17 de julho de 2010

Link Brasil

 





www.recordnewstv.com.br/linkbrasil/

É um programa que fala de tecnologia.
Com temas sempre atualizados no Brasil e no mundo.
Canal:  Recordnews
Programa: Link Brasil

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Biografia de Masashi Kishimoto escrito por Rani M.O.Lima


Em tempo de crise existencial , de corrupções , de falsas saídas fáceis e de desilusões , nasce um menino que um dia iria contar a história de sua própria vida , disfarçado de um ninja. Levando mensagens positiva de esperanças , realidade e superação ao mundo. Essa é a história de Masashi Kishimoto.

Masashi Kishimoto nasceu em 8 de novembro de 1974 na prefeitura de Katsuna , no Japão.Ele tem um irmão gêmeo, chamado Seishi Kishimoto . Sendo o Masashi o mais velho , por ter nascido primeiro.

Desde criança Masashi Kishimoto sempre gostou de desenhar e seu sonho sempre foi ser mangaka. Mangaka é o nome para quem cria manga. Manga é um tipo de revista em quadrinho japonês. Não pode ser comparado ao cartoon ou magazine because o manga tem um estilo próprio. Os traços dos desenhos mais evidentes são os olhos grandes e os cabelos coloridos.O manga você começa a leitura de trás para frente ou seja a primeira página é o final do manga.As histórias do mangas são recheadas de conteúdos relevante como : filosofia, química, cyber world, fé e muitos outros temas.Diferente do que muitos pensam nem todo manga tem como alvo o público infantil, pelo contrário no Japão é muito comum adultos lerem manga. Sendo o manga lido não só no Japão mas no mundo tudo. Aqui no Brazil ainda existe um pensamento estúpido que manga é coisa para criança. É onde entra os fãs e defendem a tese que manga não é coisa para criança.


Masashi Kishimoto também gosta muito de Ramen. Que é um alimento japonês de origem chinesa composto por filamentos longos de massa alimentícia com ervas e legumes temperados com carne de porco ou peixe de água-doce.

Sua influência de anime/manga quando era criança , it was : Doraemon. Ele e todos de sua época admiravam e foram influenciados por tal. Seu irmão Seishi também foi influenciado e por terem estudado na mesma escola e terem a mesma fonte de inspiração , diariamente são acusados de um plagiar o outro. Em relação a isso Masashi Kishimoto defende seu irmão dizendo que tivemos as mesmas origens em relação a manga/anime.


Conta o próprio Masashi Kishimoto que foi uma criança irritante , por ficar consertando os desenhos alheios.
Masashi Kishimoto told the he was an annoying child, by getting repairing the designs of others.
Sua vida profissional como mangaka começou aos 22 anos em 1996 , quando seu manga chamado Karakuri foi publicado pela editora Shueisha.


Porém ao ter outros projetos de manga rejeitado para publicação ficou no período de 1997 – 1999 questionando se estava na profissão certa e entrou em depressão. Perante essa crise existencial , parou de desenhar e passou a pesquisar profundamente sobre o significado do manga.Para a cultura japonesa a existência individual existe para fazer um bem maior a sociedade. Tendo esses conceitos em mente é compreensível que a depressão não era só por rejeição porém pela inutilidade social que ali estava tendo. Após essa longa pesquisa e reflexão em 1999 retornou inspirado , feliz e com um novo manga chamado Naruto. Assim que o Naruto foi lançado foi o mais procurado a ponto de ser considerado insuperável. Porque foi vendido milhões de exemplares em semanas não só no Japão mas como no resto do mundo.




Geralmente manga de sucesso torna-se anime.Anime no Brasil é chamado exclusivamente para animação japonesa , os demais produzidos fora do Japão é chamado de desenho. Já que os animes geralmente os episódios estão conectados do primeiro ao último e já os desenhos são histórias curtas em apenas 1 episódio tem começo, meio e fim e não tem conexão entre os episódios . Para exemplificar vendo Mickey mouse na TV se eu não assistir todos os dias eu entendo a história. Mas se você não assiste a todos episódios de um anime , irá ficar sem entender a história. E por analogia se o manga tem conteúdo em suas histórias no anime também será assim.



Em 2002 o manga foi adaptado para anime com a produção do Studio Pierreot e é exibido na TV Tokyo.


Em 15 de fevereiro de 2007 veio a segunda parte do manga Naruto Shippuuden ou Naruto crônicas do furacão.


No dia 2 de fevereiro Disney curvou-se ao sucesso mundial e comprou o direito de passar Naruto no canal Disney XD nos USA. No Brasil apesar de ter o canal Disney XD no canal pago ,não passa Naruto em sua programação.



No momento 18 de junho de 2010 , Naruto Shippuuden alcançou o episódio 165 , na TV Tokyo, no japão. No Brasil no canal aberto passa na SBT ainda está passando a primeira fase do Naruto .No canal pago passa no Cartoon network porém , este canal não passa na cronologia dos episódios deixando os telespectadores confuso.

Masashi Kishimoto além receber por produzir o Naruto recebe pelos produtos do Naruto , porta cd , porta moedas, bolsas, blusas, DVD, cd, roupas de cosplay e etc.




Mas é quando analisado, estudado o anime/manga Naruto e Naruto Shippuuden que percebemos a autobiografia do Masashi Kishimoto.
Para começar Masashi Kishimoto foi criado no intirior do Japão, então esteve longe da agitação capitalista e isso é visto na vila onde Naruto mora, Konoha. É uma vila calma e harmônica.
A respeito sobre a criação de manga ele diz que:
“Criar um manga não se trata apenas de desenhar, mas também fazer uma boa história e não perdê-la.”Dentro do anime Naruto que conta a história da vida dos ninjas é sempre frisado : “ Ser ninja não é só ter poder , ser ninja é honrar a vila e protegê-la com sua própria vida.”
Quando Masashi Kishimoto escreveu Naruto ao invés de usar palavras mágicas como em outros são usados: garras que retalham a alma, flecha purificadora da alma poke bola ativar.
Ele preferiu que seus personagens fizesses gestos com o corpo. Isso prova a intensa pesquisa que ele fez sobre o verdadeiro significado do manga. Masashi Kishimoto consegue em sua obra passar a filosofia oriental em seu anime, de forma tão sutil e agradável que não fica evidente.
As verdadeiras batalhas dos personagens são de caráter existencial e sociológico. Como por exemplo quando o personagem Gaara diz: “Quero trabalhar duro para que os outros aceitem a minha existência.” e “Ficar de braços cruzados só vai causar mais medo e sofrimento.”Gaara é a representação de tantas pessoas que querem ser aceitas da forma que são. E se bem analisado a crise existencial do Gaara representa o momento que Masashi Kishimoto também passou.

Quando na sociologia estudamos que um homem não é uma ilha temos o personagem Sasuke, para comprovar tal tese. Sasuke sai de Konoha e abandona sua sociedade para ficar mais forte. Embora não faça questão de ter laços com ninguém de fora de Konoha ,vive um tempo com Orochimaru e depois forma seu próprio grupo e mais tarde junta-se ao grupo Akatsuki. Comprovando que um homem não pode viver sozinho. Na vida profissional do Masashi Kishimoto , embora ele faça quase tudo about manga, capa, fundo, história e etc , precisa do editor para compreender e deixar editar sem mudanças radicais.

O personagem Pain ao dizer “Alguém que não conhece a dor não pode entender a verdadeira paz." Masashi Kishimoto só obteve sucesso após várias rejeições. Não é de se estranhar que o pensamento dobre a dor ser necessária para compreender a paz. Com isso o Masashi Kishimoto faz duas reflexões :
1 – Não cheguei ao sucesso de forma fácil
2 – Em um olhar mais filosófico e sociológico aqueles que nunca passaram por dificuldades não valorizam o que tem.
Quando criança Masashi Kishimoto não gostava de estudar vivia, desenhando, no anime/manga Naruto também não era um bom aluno. E assim como Naruto o Masashi Kishimoto ama Ramen. Tratando-se do personagem principal (Naruto) vários aspectos são iguais ao do Masashi Kishimoto , se a história fosse contada sem ser dito se era do Masashi Kishimoto ou do Uzumaki Naruto e ficaria difícil saber de quem estamos falando.
Masashi Kishimoto tem onze anos trabalhando no Naruto e infelizmente para os fãs , a história está chegando ao fim. E o desejo que já está aceso em todos os fãs de anime é que Masashi Kishimoto produza um próximo anime/manga tão bom quanto Naruto. Embora seja senso comum que Naruto é o melhor anime/manga de todos os tempos. É o desejo de ter outro anime/manga que nos toque tão profundamente em nossos corações , mentes e corações como Naruto faz.

Biografia de Masashi Kishimoto escrito por Rani Mendes Oliveira Lima

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Confronto dos Deuses (documentario)


Desde a Antiguidade, sempre existiu o mito da eterna luta entre o bem e o mal.
As diferentes mitologias sempre serviram como guia para cada sociedade, expressando seus valores, crenças e aspirações.

1x01 - Zeus
O deus mais poderoso da mitologia grega enfrenta seu pai em uma luta pelo controle do Universo. Os deuses desafiam os titãs no que será a grande batalha do Olimpo. Os especialistas acreditam que esta batalha pode ser uma metáfora para um evento cataclísmico ocorrido no mundo antigo.

1x02 - Hercules
É a história do super-herói mais forte da mitologia grega e sua busca por redenção. Para redimir-se de um horrível crime, Hércules embarca em uma série de desafios impossíveis conhecidos como os 12 trabalhos.
Hércules é um dos semideuses mais influentes da mitologia, mas recentes descobertas arqueológicas indicam que pode ter sido baseado em uma pessoa real.

1x03 - Hades
O mito de um dos deuses mais temidos da Antiga Grécia e os mortais que tentaram cruzar seu caminho. Hades nos leva pelo mito grego da vida após a morte, e pelas estranhas conexões com maldições reais, fantasmas e cultos secretos.

1x04 – O Minotauro
Metade homem, metade touro, o Minotauro é um dos monstros mitológicos mais aterrorizantes. Com uma estranha história sobre guerra e sacrifícios humanos, o Minotauro se mantém como símbolo da besta que há dentro de todos os homens.

1x05 – Medusa
Medusa foi a mais famosa vilã da mitologia grega, cujo olhar era capaz de transformar qualquer ser vivo em pedra. Mas, qual seria a verdadeira história por trás desta górgone com cabelos de serpente?

1x06 - Ulisses - Parte 1
A Odisséia de Homero é o poema épico mais famoso já escrito. Acompanhamos o herói arquétipo Odisseu enquanto embarca em uma aventura de mais de 20 anos para regressar ao seu lar e reclamar sua esposa e seu reino. Uma incrível história de bestas mitológicas e deuses cheios de ira. Mas, poderia ter acontecido na realidade?

1x07 - Ulisses - Parte 2
A história de Odisseu continua. Pistas astronômicas e dados geológicos descobertos recentemente podem trazer evidências sobre a realidade por trás deste famoso épico.


1x08 – Beowulf
A lenda de Beowulf, a história do guerreiro mais famoso do mundo Viking, é definitivamente uma história sobre a coragem. Tendo enfrentado sedentos dragões, monstros bárbaros e um dragão que cospe fogo, ele é conhecido como o maior herói da mitologia nórdica.

1x09 - Mitologia de Tolkien
Este é um dos mais famosos mitos modernos. Prepare-se para entrar no fantástico mundo de J.R.R Tolkien, cheio de hobbits, orcs, magos e elfos. Examinaremos as influências mitológicas que o levaram a escrever um dos livros mais influentes do século XX: O Senhor dos Anéis.

1x10 – Thor
Idealizado na antiga mitologia Nórdica como o o Deus Protetor, Thor combate com ogros malignos e com uma serpente gigante que quer destruir a humanidade.
É a própria essência da luta pela sobrevivência, que culmina com um confronto definitivo entre o bem e o mal.

______________________________________________________________________________

Òtimo DVD, vale apena ter , ver e APRENDER.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Pensamento de Confúcio

"Examina bem os teus pensamentos e, se os vires puros, puro será também o seu coração."
(Confúcio)

terça-feira, 13 de julho de 2010

Dia mundial do rock



Em 13 de julho de 1985, Bob Geldof organizou o Live Aid, um show simultâneo em Londres na Inglaterra e na Filadélfia nos Estados Unidos. O objetivo principal era o fim da fome na Etiópia e contou com a presença de artistas como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, U2, Paul McCartney, Phil Collins (que tocou nos dois lugares), Eric Clapton e Black Sabbath.
Foi transimtido ao vivo pela BBC para diversos países e abriu os olhos do mundo para a miséria no continente africano. 20 anos depois, em 2005, Bob Geldof oragnizou o Live 8 como uma nova edição, com estrutura maior e shows em mais países com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres erradicar a miséria do mundo.
Desde então o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_mundial_do_rock

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Poema escrito por Lorde Byron


She walks in beauty, like the night
Of cloudless climes and starry skies;
And all that's best of dark and bright
Meet in her aspect and her eyes:
Thus mellowed to that tender light
Which heaven to gaudy day denies.

One shade the more, one ray the less,
Had half impaired the nameless grace
Which waves in every raven tress,
Or softly lightens over her face;
Where thoughts serenely sweet express
How pure, how dear their dwelling-place.


And on that cheek, and over that brow,
So soft, so calm, yet eloquent,
The smiles that win, the tints that glow,
But tell of days in goodness spent,
A mind at peace with all below,
A heart whose love is innocent!
Lord Byron






O texto é muito complexo, mesmo que escrito em português. O autor usa muitas palavras de forma poética, o que dificulta a tradução literal. Mas aí vai uma tradução aproximada:
Ela anda na beleza, igual à noite
De tempos sem nuvens e céus estrelados
E tudo isto é o melhor da escuridão e da claridade
Encontre-a seus aspecto e olhos
Assim admirado por aquela luz quente
No qual o céu???? Recusa
Uma sombra a mais, um raio a menos
Tido meio deficiente o sem nome graciosidade
Que ondas em todos corvo madeixa
Ou suavemente clareia o seu rosto
Onde idéias serenamente doce expressa
Quão puro , quão caro o seu habitando

E nessa bochecha , e acima de essa sobrancelha
Tão macio , tão calmo , ainda eloqüente
Os sorrisos que ganhamos , as matizes desse brilho
Mas falar de dias de bondade usufruídos
Uma mente em paz com todos abaixo
Um coração cujo amar é inocente!
FONTE:http://damarisanderson.multiply.com/journal/item/127/127

domingo, 11 de julho de 2010

Lorde Byron




George Gordon Byron, 6º Barão Byron (Londres, 22 de janeiro de 1788Missolonghi, 19 de abril de 1824), melhor conhecido como Lorde Byron, foi um destacado poeta britânico e uma das figuras mais influentes do Romantismo.


Ele é famoso pelas suas obras-primas, tais como Peregrinação de Childe Harold e Don Juan. Esse último permaneceu inacabado devido à sua morte iminente. Byron é considerado como um dos maiores poetas europeus, é muito lido até os dias de hoje, também foi um dos primeiros escritores a descrever os efeitos da maconha.


A fama de Byron não se deve somente aos seus escritos, mas também a sua vida — amplamente considerada extravagante — que inclui numerosas amantes, dívidas, separações e alegações de incesto.


Encontrou a morte em Missolonghi, no litoral norte do Golfo de Pratas, onde estava lutando ao lado dos gregos pela sua independência da opressão turca. Segundo consta, a causa da morte parece ter sido uremia, complicada por febre reumática.


Sua filha, Ada Lovelace, colaborou com Charles Babbage para o engenho analítico, um passo importante na história dos computadores.

sábado, 10 de julho de 2010

Júlio Verne


Júlio Verne, em francês Jules Verne, Nantes, 8 de fevereiro de 1828 — Amiens, 24 de março de 1905) foi um escritor francês.


Júlio Verne foi o filho mais velho dos cinco filhos de Pierre Verne, advogado (avoué), e Sophie Allote de la Fuÿe, esta de um família burguesa de Nantes . É considerado por críticos literários o precursor do gênero de ficção científica, tendo feito predições em seus livros sobre o aparecimento de novos avanços científicos, como os submarinos, máquinas voadoras e viagem à Lua.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Edgar Allan Poe





Edgar Allan Poe (Boston, 19 de janeiro de 1809 – Baltimore, 7 de outubro de 1849) foi um escritor, poeta, romancista, crítico literário e editor estado-unidense.

Poe é considerado, juntamente com Jules Verne, um dos precursores da literatura de ficção científica e fantástica modernas. Algumas das suas novelas, como The Murders in the Rue Morgue (Os Crimes da Rua Morgue), The Purloined Letter (A Carta Roubada) e The Mystery of Marie Roget (O Mistério de Maria Roget), figuram entre as primeiras obras reconhecidas como policiais, e, de acordo com muitos, as suas obras marcam o início da verdadeira literatura norte-americana.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

How far would you go to protect a secret?


Quanto tão longe você iria para proteger um segredo?

As horas



"Encarar a vida pela frente... Sempre... Encarar a vida pela frente, e vê-la como ela é... Por fim, entendê-la e amá-la pelo que ela é... E depois deixá-la seguir... Sempre os anos entre nós, sempre os anos... Sempre o amor... Sempre a razão... Sempre o tempo... Sempre... As horas."
Virginia Woolf

quarta-feira, 7 de julho de 2010


"Cada um tem o seu passado fechado em si, tal como um livro que se conhece de cor, livro de que os amigos apenas levam o título."
Virginia Woolf

terça-feira, 6 de julho de 2010




"Se você não contar a verdade sobre si mesmo, não pode contar a verdade sobre as outras pessoas."
Virginia Woolf







Obs¹:Essa frase é citada no filme ,"Harriet the spy blog wars".
Percebe-se com isso que nem todo filme da Disney tem que ser sem conteúdo.
Obs²: Com base na interpretação da frase da Virginia , entendo assim se usei a foto dela tenho que usar a minha também. Embora eu não chegue nem aos pés dela como escritora, que oficialmente nem sou.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Virginia Woolf - O suicídio

No dia 28 de Março de 1941, após ter um colapso nervoso Virginia suicidou-se. Ela vestiu um casaco, encheu seus bolsos com pedras e entrou no Rio Ouse, afogando-se. Seu corpo só foi encontrado no dia 18 de abril.

Em seu último bilhete para o marido, Leonardo Woolf, Virginia escreveu:

“Querido,
Tenho certeza de estar ficando louca novamente. Sinto que não conseguiremos passar por novos tempos difíceis. E não quero revivê-los. Começo a escutar vozes e não consigo me concentrar. Portanto, estou fazendo o que me parece ser o melhor a se fazer. Você me deu muitas possibilidades de ser feliz. Você esteve presente como nenhum outro. Não creio que duas pessoas possam ser felizes convivendo com esta doença terrível. Não posso mais lutar. Sei que estarei tirando um peso de suas costas, pois, sem mim, você poderá trabalhar. E você vai, eu sei. Você vê, não consigo sequer escrever. Nem ler. Enfim, o que quero dizer é que é a você que eu devo toda minha felicidade. Você foi bom para mim, como ninguém poderia ter sido. Eu queria dizer isto - todos sabem. Se alguém pudesse me salvar, este alguém seria você. Tudo se foi para mim mas o que ficará é a certeza da sua bondade, sem igual. Não posso atrapalhar sua vida. Não mais. Não acredito que duas pessoas poderiam ter sido tão felizes quanto nós fomos.V.”

domingo, 4 de julho de 2010

Virginia Woolf




Virginia Woolf (Londres, 25 de Janeiro de 1882 — Lewes, 28 de Março de 1941)
foi uma das mais importantes escritoras britânicas.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Estudar não é o mesmo que ir para escola ...


Estudar não é o mesmo que ir para escola ou a faculdade. Estudar é processo de curiosidade que nos leva a pesquisa, que nos dá conhecimento.
Estudar é algo tão bom porém quando chegamos aos lugares sociais apropriados e “aprimorados” para estudar é aonde menos aprendemos.
Tirando curso técnicos e cursos de graduações que lide com a prática , estudar em instituições públicas ou privadas é o verdadeiro “Ó”.
Somos obrigados a estudar teorias , que 80% das vezes na prática não são usadas.
O aluno senta ali e fica pensando ainda faltam 3anos ou 4 anos para eu ganhar um papel.
Chega ser patético ter que ficar lendo artigo que o professor manda , falando de socialização entre o professor pesquisador e o professor.
Qual é? Sabemos que é mentira escola não funciona bem, ninguém assume isso , nas reuniões dos pais é aquela coisa bonita de ver e depois volta tudo ao normal.
Não funciona bem por ausência de alguém que realmente faça a escola ir para frente                  (coordenador , diretor , vice diretor). Já que ultimamente quem vem carregando a escola nas costa é o professor, em algumas escolas principalmente públicas não encontramos a coordenação pedagógica e as vezes só tem mesmo na escola professor e o aluno.
Quer prova? Vá a escola pública sem avisar e você não acha a coordenação porém acha dando aula em outra instituição seja privada ou pública (graduação).
Que sentindo faz eu ficar lendo um artigo sobre educação? Ter que fazer resumo e no final das contas na prática vou ter que saber puxar saco de coordenador, diretor : AUSENTE.
Agora até entendo quando alguns alunos não gostam de ir para escola. Pq muita das vezes é isso mesmo , professor não ensina nem dá gosto de estudar.
Mais prática , menos teoria.
Menos invenção , mais som alto.
Menos artigo idiota , mais plano de ação.
Escrito por Rani Mendes Oliveira Lima