domingo, 18 de julho de 2010

Resumo crítico do filme : O leitor, escrito por Rani M.O.Lima



O Leitor
É um filme cujo não tem cronologia certa , passa em dois tempos , no presente em 1995 e no passado quando o personagem principal era adolescente.
O estudante (leitor) Michael Berg um dia voltando da escola de bonde não se sente bem e desce antes do seu destino  (voltar para casa). Ao passar mal num beco uma moça chamada Hanna Schmitz  , que o ajuda e depois que ele melhora leva-o até quase a porta de casa.
Após ele melhorar de uma doença que lhe deixou de cama por semanas  ele leva um arranjo de flor como gratidão por Hanna Schmitz   ter ajudado-o. E surge um romance entre os dois, porém pelo fato dele ser jovem de mais e ela ter idade para ser a mãe dele , ele não conta a ninguém dela e nem ela dele.Ao perceber que o jovem rapaz ia a casa dela após a escola para namorá-la , ela coloca regras.Uma delas é que primeiro ele tinha que ler para ela os livros e depois  da leitura ela aceitava namorar. Fazendo isso para garantir o futuro dele sem que um romance de verão não estragasse tudo.Algumas das leituras que ele fez foi : A Dama do cachorrinho de Anton Chekhov e A odisséia de Homero .
Terminando  o verão Hanna Schmitz  que trabalhava como trocadora em um bonde é  surpreendida  por receber uma promoção , para trabalhar no escritório.O que para ela não foi alegre pois ela não sabia ler nem escrever.Ela não conta nada ao Michael Berg e após uma ultima vez encontrar com ele , ela faz as malas e deixa o apartamento em que morava.
O jovem Michael Berg sofre por ela ter partido sem amenos dizer adeus. Porém o tempo passa e em  1966 encontra-se na escola de direito de  Heilderberg. Quando alguns colegas da turma e o professor vão assistir a um julgamento é o momento de grande surpresa para o Michael Berg ,já que ao chegar lá ao anunciar um dos nomes da acusado o deixa tonto sem querer acreditar no que estava ouvindo : “Hanna Schmitz  nascida 21 de outubro de 1922 ,43 anos (na data do julgamento).Crime ter se juntado ao SS em 1943. O julgamento de Hanna Schmitz  é o ponto chave do filme para análise da argumentação.
Hanna Schmitz  ao longo do processo diferente das outras acusadas que também trabalharam como guardas dos campos de concentrações , ela fala a verdade de como tudo era procedido. E ao ser questionada o motivo de ter aceito o emprego ela disse que pelo alto salário. Quando na verdade Michael Berg sabe que ela aceito aquele emprego pelo ausência de necessidade de saber ler ou escrever. E isso fica evidente durante o julgamento quando ela é bombardeada por perguntas e ela não nega nenhuma resposta.
Hanna Schmitz  nascida 21 de outubro de 1922 ,43 anos (na data do julgamento).Crime ter se juntado ao SS em 1943, primeiro trabalhou em Auschwitz até 1944, depois foi para o acampamento Krakowem e de lá ocorreu a chamada marcha da morte inverno de 1944.
Nos intervalos de um dia para o outro do julgamento o professor de Michael Berg diz ao grupo que está indo ao julgamento: “As sociedades acham que são guiadas por algo chamado moralidade.Mas não são.São guiadas por algo chamado lei.” , e o aluno conclui que a lei é algo obscuro , já que na época em que Hanna Schmitz  trabalhava nos campos de concentrações não era crime o que ela fazia já que a lei ordenava que ninguém escondesse judeu , logo trabalhar aprisionando não era crime.Porém matar nunca deixou de ser crime , refletem.
Esse julgamento só ocorreu devido uma sobrevivente ter escrito um livro contando por tudo que passou. Como o julgamento acontecesse em 1966 ela é julgada como criminosa , o que espantou é que o julgamento foi feito sobre uma nova lei deixando de ser considerado a lei anterior em que ela passou pela situação. Já que a lei não retroage para prejudicar mas retroage para ajudar, ao menos no Brasil é o tendencioso.
Quando Michael Berg conversa com o professor que sabe de um motivo para inocentar Hanna mas não diz o motivo .Então o professor argumenta que para que serve estudar se na hora que é preciso de ação ele fica calado?E fica bem chateado.

A seleção  é o momento chave do filme onde mostra que a falta de instrução dela ,leva-a se condenar ao usar as palavras erradas. E ao falar a verdade quando todos mentem. A referida seleção era a dos prisioneiros que ela e as demais guardas  iriam mandar para Auschwitz, o que era certeza de quase morte.
O Michael ao visitar um dos campos de concentração  faz agente sentir que apesar de Hanna ter trabalhado ali também era uma “prisioneira” fisicamente do lugar pequeno cheio de tanta gente , tanto quanto mentalmente, sociologicamente, psicologicamente.
A vergonha de não saber ler nem escrever fez com que ela assumisse toda a culpa daquilo que ela não fez e nem era Chefe das guardas. Já que  fica claro que o julgamento precisava de um mentor para ser dito como culpado.Da parte das outras acusadas por aparentemente ter mais estudo perceberam que era mais fácil acusar uma mente fraca do que todas assumirem suas respectivas responsabilidade dentro da acusação.Hanna termina sendo acusada por participação especial no assassinato de 300 pessoas é sentenciada a prisão perpétua.Enquanto as outras pegam só 4 anos de cadeia.
Após a sentença o personagem Michael cresce naquela angústia sem se abrir para o mundo. Mantendo esse romance em segredo. Casa por casar , tem uma filha mas logo o casamento acaba em divórcio. Fica claro que o único amor dele fora a Hanna pelo qual ele não fez nada quando poderia ter feito.

Após o divórcio em 1976  volta a ler os antigos livros e resolve gravar as histórias com sua voz em um gravador e envia um gravador e as fitas com as histórias que costumava ler para Hanna, envia para prisão em que Hanna estava.Hanna passa a ficar alegre novamente . E um belo dia resolve pegar o livre a dama do cachorrinho e junto com a leitura da fita , sozinha aprende a ler e a escrever.E quando ele para de mandar as fitas ela finalmente pode escrever uma carta pedindo que mande mais romances.Mas ele não responde a carta dela e nem mais manda fitas com romances.
Berlin Oriental 1988 ligam da cadeia para Michael dizendo que ele é o único contato dela.Dias depois ele resolve visitá-la na cadeia para informar que ela terá um emprego  que ele conseguiu para ela e uma casa .Na semana seguinte quando vai buscá-la , descobre que ela se suicidou-se e deixou um bilhete dizendo para ele dar o dinheiro a vítima do incêndio que estava viva.
Michael vai aos EUA e tenta explicar que Hanna não era o monstro que parecia ser no julgamento, tentou explicar que ela era analfabeta e que foi manipulada , mas a vítima Mather  não quis saber da explicação. Recusou o dinheiro mas aceitou a latinha.Ela manda ele fazer o dinheiro com o que quiser e ele sugere usar para fazer uma  organização que ajude o alfabetismo.E mather concorda.
Quando a filhade Michael Berg , Júlia volta depois de morar um ano fora do país ela diz que sempre se sentiu culpada pelo divorcio dele com a mãe.Em janeiro de 1995 Michael resolve levar a filha aonde Hanna está enterrada e resolve se abrir para filha contando como ele começou a se fechar para o mundo.
E começa narrando “ Tinha 15 anos,estava voltando para casa, estava me sentido mal e uma mulher me ajudou.”

Um comentário: